MORTALIDADE DOS PACIENTES INTERNADOS POR
HANSENÍASE NO ESTADO DO MARANHÃO

Autores:

RAFAEL DOS REIS CARDOSO PASSOS; ANDRÉ LUIS ALVES FONTES; KELBERT RENAN OLIVEIRA PINTO CARDOSO; KAREN SANTOS OLIVEIRA TRAVASSOS REIS.

A hanseníase é uma enfermidade infecciosa crônica, granulomatosa, causada pelo Mycobacterium leprae. As alterações podem ocasionar óbitos, em decorrência de complicações da doença. Dentre os estados brasileiros, o Maranhão se destaca por ser um dos locais com maior prevalência de casos de hanseníase. Assim, este estudo tem como objetivo descrever as características clínicas e epidemiológicas dos óbitos dos pacientes internados por hanseníase no estado do Maranhão no período de 2015 a 2019. Trata-se de um estudo transversal de série temporal. A população deste estudo é constituída por casos confirmados nos anos de 2015 a 2019. Foram notificados 1.814 casos de internação por hanseníase no estado do Maranhão nos anos do estudo, o que corresponde a (n = 52, 2,86%) dos casos de óbitos. Em relação ao perfil clinico dos pacientes hospitalizados que evoluíram a óbito, a maioria foi constituída por adultos na faixa etária de 60 anos a mais (n = 32, 61,5%), A idade média é de 62,7 anos e sexo masculino (n = 37, 71,2%). Em relação à raça/cor, 10 (19,2%) foram considerados pardos, porém (n = 42, 80,2%) constavam sem informações. Portanto, constatou-se, através das análises dos indicadores relacionados à hanseníase, o grupo de pessoas que estão susceptíveis aos óbitos são adultos, pardos e do sexo masculino. É importante a identificação dos grupos de risco para que possam ser desenvolvidas estratégias de promoção de programas de controle da hanseníase no estado do Maranhão.

Publicado em: Setembro/Outubro, 2020.

DOI: https://doi.org/10.29327/524512

 

©2020 por Arquivo Brasileiro de Saúde Integrada.